ACOLHIMENTO E CLASSIFICAÇÃO DE RISCO NOS SERVIÇOS DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA: LIMITES E POSSIBILIDADES UMA QUESTÃO PARA OS ENFERMEIROS

Carolina Magalhães dos Santos, Mireli Silotti Mastelo Gomes, Aline Teixeira Marques Figueiredo Silva, Laryssa Baptista de Azevedo Ferreira, Yasmim Basílio Araujo

Resumo


Trata-se de um estudo descritivo exploratório de abordagem qualitativa, que objetivou analisar limites e
possibilidades que permeiam o acolhimento e a classificação de risco na porta de emergência de um hospital
público na cidade de Campos dos Goytacazes. A coleta de dados ocorreu no período entre março e maio de
2014, por meio de questionários e observação não-participante/assistemática, com onze enfermeiros.
Utilizou-se para análise o referencial teórico proposto por Bardin. Os resultados contemplam as várias
possibilidades demarcando o potencial do acolhimento e da classificação de risco, sendo destaque a
autonomia que é fornecida ao enfermeiro na realização desse processo e o espaço criado por essas
tecnologias para realização da educação em saúde na emergência. Concebem também diversos limites, como
a desvalorização das atribuições exclusivas dos enfermeiros e a forma de encaminhar os usuários, que
necessitam de reflexão e a partir disso, buscar soluções adequadas.

 


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25242/88684152014566

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.