A INSERÇÃO DA PSICANÁLISE NA SAÚDE PÚBLICA

Patrícia Constantino, Leila Eid Imad da Silva, Rita de Cássia Campista Brazileiro, Ruth de Souza Braga Dias

Resumo


Buscando conhecer como se dá o encontro da psicanálise com a Saúde Pública, este artigo apresenta os
relatos de quatro psicanalistas que exercem sua prática clínica no ambiente hospitalar e de uma que atua na
Saúde Mental. A metodologia utilizada foi de natureza qualitativa, com entrevista semiestruturada, assim
analisamos o conteúdo das entrevistas fazendo várias leituras de um mesmo material para obter um grau de
objetividade no intuito de tentar revelar o conteúdo subjacente ao que está sendo manifesto. Nosso objetivo
foi conhecer as condições em que a psicanálise vem se efetivando. A pesquisa trata de um embasamento
teórico indispensável para abordar a práxis psicanalítica tendo como ponto de partida investigar a
possibilidade da mesma inserir-se em um meio tão distinto daquele em que tradicionalmente atua. Na
oportunidade também diferenciamos entrada de inserção. Com os resultados obtidos, constatamos a
relevância desse pré-requisito para que o trabalho seja possível numa instituição de saúde como em qualquer
outro lugar. As entrevistas realizadas apontam para a importância da escuta psicanalítica diante do
sofrimento psíquico nos hospitais e da oportunidade que os pacientes encontram de falar, o que do ponto de
vista psicanalítico é o bem maior que se pode conceder a um sujeito.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25242/8868382013143

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.