CONSUMO DE ALIMENTOS INDUSTRIALIZADOS E ESTADO NUTRICIONAL DE ESCOLARES

Talita Naiara Rocha, Bianca Inês Etges

Resumo


O presente estudo teve como objetivo avaliar o consumo de alimentos processados e ultraprocessados e sua relação com o estado nutricional de escolares. Trata-se de uma pesquisa quantitativa de delineamento transversal descritivo observacional. O consumo alimentar foi avaliado por meio de questionário de frequência alimentar adaptado. Para avaliar o estado nutricional, utilizou-se o índice de massa corporal por gênero e idade. Após a obtenção dos dados, eles foram tabulados e analisados estatisticamente pelo programa IBM SPSS versão 20, para tanto, foram utilizados os testes Qui-quadrado, t de Student, teste não paramétrico de Mann-Whitney, teste não paramétrico de Kruskal-Wallis e teste de coeficiente de correlação não paramétrico de Spearman. A amostra foi composta por 51 escolares, com média de idade de 8,41 +- 1,60 anos, matriculados em uma escola de ensino básico, situada na cidade de Sobradinho-RS. Destes, 51% eram meninos. Algumas correlações foram encontradas entre o consumo de certos alimentos, como por exemplo, o de salgadinhos e bolachas recheadas, e refrigerantes, sucos artificiais e guloseimas, porém, os testes não demonstraram relação significativa entre o consumo de alimentos industrializados e o estado nutricional dos escolares, não indicando que crianças com sobrepeso ou obesidade consumiam com mais frequência os alimentos industrializados.


Palavras-chave


Crianças; Alimentos processados; Consumo Alimentar; Antropometria.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25242/886892920191402

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.