PERFIL ANTROPOMÉTRICO, ESTADO NUTRICIONAL E NÍVEL SÉRICO DE FERRO EM ASSENTADOS DE ITUIUTABA-MG

Lara Nascimento Zanato, Karine Rezende de Oliveira, Luciana Karen Calábria

Resumo


Considerando que o ferro é um micronutriente essencial na fisiologia do organismo, o objetivo deste estudo foi avaliar os níveis de ferro sérico em assentados de Ituiutaba-MG, associado com Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT). O perfil socioeconômico, demográfico e epidemiológico foi avaliado em 143 assentados, sendo que destes somente 15 (10,5%) participaram da coleta de sangue. As amostras foram analisadas a partir de kit de diagnóstico, as medidas antropométricas foram aferidas e questionário semiestruturado aplicado. Os resultados revelaram maioria masculina (73,3%) e que declarou ter idade abaixo de 60 anos (80%), com baixa renda (66,7%) e baixa escolaridade (60%), não fumante (73,3%), não etilista (66,7%), sedentária (80%) e que tem alimentação saudável (86,7%). Além disso, apresentou majoritariamente IMC eutrófico (78,6%), circunferência da cintura ideal (60%), mas a relação cintura/quadril (RCQ) alterada (60%). Quanto às DCNT, 6,7% dos assentados declararam ter diabetes mellitus, 20% hipertensão arterial e 66,7% distúrbio neurológico, dos quais 33,3% deles apresentaram nível de ferro sérico acima do ideal. Apesar da minoria apresentar baixos níveis de ferro (6,7%), este parâmetro não foi correlacionado com os fatores de risco para DCNT. Os dados obtidos reforçam a efetividade de políticas públicas no meio rural que priorizem a educação preventiva em saúde.


Palavras-chave


Zona Rural; Doenças Crônicas Não Transmissíveis; Fatores de Risco.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25242/886882720181379

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.